Temos o direito que nos é tirado.

Pobreza legal para as grandes corporações Arrastões em Ipanema são consequências de tudo que colhemos e plantamos durante a noss...


Pobreza legal para as grandes corporações

Arrastões em Ipanema são consequências de tudo que colhemos e plantamos durante a nossa sobrevivência neste país.

O ''país rico'' tem pobreza evidente. Pobreza de dignidade, humanidade e conscientização. Milhares de famílias são obrigadas a saírem de suas casas todos os dias e centenas de ''pivetes'' buscam nas ruas uma alternativa de comprar comida pra dentro de casa.


Não concordo com as atitudes desses menores, no entanto, o Brasil que temos pra hoje, não estende a mão pra quem precisa. São inflações altas para salários tão baixos; muito sofrimento para poucos ouvintes; muito desperdício e pouca vergonha na cara. 

Quem nunca correu atrás de um busão? Quem nunca ficou esperando horas para ser atendido em um hospital? Quando alguém luta por uma passagem mais barata, grandes corporações e âncoras não hesitam em colocar nas capas dos noticiários a seguinte frase: Vândalos destroem bancos e são presos por PM's. Deveria ser uma revolução e para eles se tornam...'' confusões exacerbadas de um classe menos favorecida''.

UPP's tem regredido a qualidade de vida dos favelados e quanto mais achamos que estamos no caminho da segurança, centenas de negros e pobres são mortos todos os dias pelos PM's.

Além do mais, ser negro deveria ser motivo de orgulho. Ter cabelo ruim, black power, morar em favela, ter pouco dinheiro e ralar por uma qualidade de vida são contextualizados de forma distorcida.Temos o direito de ser preto, mas não é assim na prática. Somos chamados de animais e agredidos até a morte. Até mesmo o William Bonner nos chamou de Homer Simpson.

Qualidade de vida pra quê se temos o nosso mísero salario mínimo, se falta comida em nossos pratos e se mães dão a luz em hospitais precários?
O meu voto são para todos àqueles que não têm voz nesse país e também para quem busca alternativas de sobrevivência, mesmo com o medo. Deixo os meus aplausos e sentimentos.

Por Amanda Belém

Quero saber mais

0 comentários