O ''ser'' importante -Part 20- Diversidade sexual não é doença

Oi, como foi sua semana? A minha foi cansativa e tenho que desabafar algo com você. Estou me sentindo aliviada desde que decidi contar ...


Oi, como foi sua semana? A minha foi cansativa e tenho que desabafar algo com você. Estou me sentindo aliviada desde que decidi contar à minha mãe sobre a minha opção sexual supostamente definida. Não é algo que dá pra digerir tão rápido, entende? Apesar de eu não ser mãe, compreendo que tudo deve ser bem devagar porque receber uma notícia de que sua filha curte os dois lados, não é nada favorecedor!
Mas o inacreditável é que ela não teve uma reação de desaprovação, porém a única coisa que me deixou um pouco triste foi dela ter dito: "Eu nunca imaginaria isso de você''. É como se eu estivesse entregando a minha alma ao inferno ou que estivesse denigrindo a minha imagem que ela ajudou a construir.
De fato, sei que esses assuntos são delicados e que leva tempo pra tudo se ajustar, mas eu também não posso ficar omitindo algo que me faz feliz, independente de qualquer coisa.
Outra observação que não puder aceitar, foi o fato de minha mãe dizer que eu devo procurar um psicólogo pra ''ajudar'' a me resolver de verdade. Sei que esses profissionais te orientam em muitas coisas, mas não estipula algo pra minha vida ou para sua vida. Ora bolas. Não é simples chegar e dizer os motivos que te fazem escolher ser quem é. E pra quê devem saber disso?
Quando eu tinha 8 anos, tive algumas caídas sinistras por algumas primas minhas e a partir daí, não pude evitar. Mas chega um hora em que se firmar não é absolutamente ligado ao posicionamento em sociedade, mas sim, consigo mesmo. Eu quero ser feliz do meu jeito.Um abraço, um beijo e um ''vamos tomar um café'' é o que desejo pros meus finais de semana, independente de quem esteja ao meu lado. 
Não quero ter que sair de casa cedo por não conseguir conviver com meus pais por um motivo tão simples, ser bissexual. Vou continuar gostando das mesmas pessoas, amarei mais os meus pais e aproveitarei a vida da melhor maneira possivel, afinal, isso não é uma doença, isso se chama diversidade.
Você que é hetero, gay, lésbica ou trans, siga o seu coração e seja feliz por você.
''O sonho da igualdade só cresce no terreno do respeito pelas diferenças.''


Por Amanda Belém

Quero saber mais

5 comentários