Midia Ninja, independente?

Não resisti, e tenho que comentar algo com você. Já ouviu falar da  Mídia Ninja? Vou te contar como funciona o esquema. Você não preci...


Não resisti, e tenho que comentar algo com você. Já ouviu falar da Mídia Ninja? Vou te contar como funciona o esquema. Você não precisa se vestir preto, ter olhos puxados e não precisa falar Mandarim (apesar de ser uma das línguas mais faladas no mundo), basta apenas ter uma internet 4G no seu celular. Mas aí você me pergunta: E a parte do NINJA, entra aonde? Esse é  o X a da questão. Após estudar assiduamente sobre o fenômeno, descobri que Bruno Torturra e Pablo Capilé desenvolveram uma nova maneira de fazer Jornalismo, ou o que pelo menos afirmam ser uma alternativa .


Integrantes do Midia Ninja, e no centro,O jornalista Bruno Torturra

 A palavra N.IN.J.A na verdade é um sigla e significa NARRATIVAS INDEPENDENTES, JORNALISMO E AÇÃO. Com um celular, cada Ninja registra momentos caóticos de grande repercussão, como por exemplo, as manifestações que mobilizam o país. Se infiltram em meio a multidão e entrevistam ativistas de esquerda, jovens, velhos e os famosos Black Blocks ( grupos anti democratas). Bruno Torturra, ex diretor da revista Trip e um dos fundadores do midiativismo Ninja, afirma que ''o jornal ele não precisa ser necessariamente caro, o grande objetivo é retirar as pessoas da passividade, fazendo-as questionar.''
               
O grupo deu origem em junho de 2011, por meio da Pós-TV, mídia digital do circuito Fora do Eixo. O embrião do movimento esteve presente na Marcha da Maconha e na Marcha da Liberdade daquele ano. Em 2012 fizeram uma cobertura da situação das aldeias Guarani-Kaiowá do Mato Grosso do Sul.
O Mídia Ninja é sustentado pelo Fora Eixo, um Circuito que tem objetivo divulgar bandas e cantores solos independentes pelo Brasil todo. São realizados diversos shows por mês. É um pouco confuso porque, a proposta da Mídia Ninja é de ser uma mídia independente, mas ao mesmo tempo recebe 800 mil reais da Petrobras ( por editais realizados) e fatura entre R$ 3 e 5 milhões por ano.

Um dos impasses dessa nova Mídia Independente é se ela vai realmente substituir a Mídia tradicional; ou se foram apenas oportunistas devido as grandes manifestações e decidiram tentar montar um ''negócio''.
Jornais do Brasil inteiro, estão com o dilema de desvendar o que a Mídia Ninja pretende fazer, e como sobrevivem, pois querendo ou não, os velhos âncoras não querem perder os seus lugares.

Vamos combinar que construir as noticias dessa maneira, evita esconder a poeira debaixo do tapete, assim como a grande mídia faz. No jornalismo, temas de grande impacto, infelizmente prevalecem e o telespectador se acostuma com o que é transmitido, não havendo então nenhum questionamento. Eu sabia que você ia se interessar por esse tema, por isso, aqui embaixo separei as principais redes sociais dos Ninjas pra você dar uma zoiada e quem sabe fazer parte dessa onda. Boa Sorte.


Por Amanda Belém

Quero saber mais

4 comentários