O ''ser'' importante -Projeto-

Pode parecer meio duvidoso pra você, mas os dias não são a mesma coisa desde quando a sua ausência foi notada. Alguns cafés esfriaram, os ...

Pode parecer meio duvidoso pra você, mas os dias não são a mesma coisa desde quando a sua ausência foi notada. Alguns cafés esfriaram, os banhos agora são frios e o tempo demora pra passar.
Livros tiveram de se parados na pagina 22 tal como o último dia que nos vimos, e o gosto por doces ficou quase que indesejável.

Nunca aceitei tão bem a ideia de te querer por perto, não é atoa que tudo que eu vejo e leio, penso : " como seria bom se ele pudesse estar aqui comigo..". Até a sua mania de ficar piscando os olhos e comer por demais, sequestrei

Como não se lembrar da sua risada, quietude, mansidão e do Los Hermanos? "Primavera se foi..." ou" Eu encontrei..." são os trechos que me pego cantando sem querer. Alguns detalhes tal como os seus olhos não precisam de descrição, eles nunca foram tão charmosos. Sei que tem dificuldades pra me olhar nos olhos, mas nunca pra dizer ''você não sabe a saudade que eu estou de você''.

Não me indague sobre o motivo pelo qual eu decidi escrever assim tão solta. Mas, inacreditavelmente é que isso tudo estava sendo escrito em um hospital às 9 e 35 da manhã, encostada numa parede com apenas um fone de ouvido, um celular e leves flashs de lembranças.

Foi uma briga acordar às 7 da manha num frio tipicamente friburguense, mas foi gratificante escolher um echarpe azul de muito bom gosto.
Comecei a ouvir mais Groundation e por conseguinte a ideia de ficar olhando pela janela, virou uma rotina.Tirar mais fotos, comer mais pizza e quem sabe ir ao Mc Donald's não tem caído nos meus conceitos.

Me lembro de tudo como se fosse ontem, me lembro quando você colocou sua mão na minha cintura, me lembro até das roupas que usou nos nossos encontros, e sei que num desses dias tava todo chique quando me pegou distraída no celular enfrente ao shop, assim como combinado; quando conheci sua avó que não parece ter 70 anos e sua tia muito simpática. Impossível não se lembrar daquele pequeno discurso sobre respeito que me encantou por horas de um dia ensolarado, e aquele sanduíche que não coube mais em você e foi entregue dignamente à um trabalhador. Até do famoso desenho dos pés nunca imaginei entregá-lo à alguém tão especial.

Não sei até que ponto cheguei quando o "não desistir de você" foi grifada no meu livro favorito: A história da minha vida. Compreendo que daqui só levamos aprendizados, e to aprendendo com você o ''seu devido valor'', que por sinal, eu to amando tranquilamente.

Não adianta me poupar dos seus sofrimentos, quando a gente gosta de alguém a parte de "estar no mesmo barco" não pode ser isolada. Certas vezes tenho vontade de te enfiar dentro de uma sacola e te levar pra minha casa, assim tão fácil. E um dia farei.
É estranho passar pelos mesmos lugares visitados e ter a sensação de que o coração vai pular pela boca, e o mais incrédulo é que esse modo "pausa" não vai ser esquecido tão fácil e tão rápido, ou jamais será jogado ao vento.

''Eu não tenho medo de morrer, eu tenho medo de não viver..''. Peculiares, faço das suas palavras as minhas e assim caminhamos na vasta mata que há de vir.

De sua admiradora.

Amanda Belém

Quero saber mais

0 comentários