O ''ser'' Importante -Part 8- Livros e Cruzeiros

Ui! Já são 9 e 35 da manhã , acordei mais cedo do que deveria. Estou de férias bebê! Uma luz muito forte no meu rosto me cegava, não...


Ui! Já são 9 e 35 da manhã, acordei mais cedo do que deveria. Estou de férias bebê! Uma luz muito forte no meu rosto me cegava, não me pergunte porque, talvez a explicação não seja tão simples assim.

Confesso que as expectativas não me renderam muitas coisas boas, mas sim, melhores e mais grandiosas. Após ter tomado um café simples com Nutella, não me contive e já matutava algo pro almoço. Nada além feijão saía dos meus pensamentos, e infelizmente fui obrigada a cozinhar Moela com purê de batata e salada de maionese. Desta vez o que tinha pra beber era apenas o suco TANG sabor tangerina, que precisou ser diluída muitas vezes.Sou desastrada na cozinha, admito, e meu pai abusa disso: ''Cuidado pra não se queimar... cuidado pra não cortar os dedos.. cuidado pra não pegar resfriado...'' Porque ele não diz : '' Faz doce banana, faz pudim, faz bolo de chocolate, parabéns Amanda...''. E ultimamente esse lado ''pai cuidadoso'' não tava rolando pro meu lado não. Sou uma pessoa paciente, porém, a ideia de ficar repetindo e ter que ouvir coisas que não me agradam, ta sendo muito mais difícil do que se imagina.

É meio dia em ponto, e o almoço estava fechado e delicioso. Tudo bem... o feijão vermelho demorou mais pra cozinhar. Pulei de susto quando o nosso pedreiro grita pelo nome do meu pai. Depois de um século luz, que fui me lembrar que o nosso vizinho (o Capitão do Exército), se mudaria nessa semana, e como prometidos, alguns livros estavam separadíssimos For me, por isso, meu digníssimo pai pediu para que o nosso pedreiro super gente boa/fina, nos ajudasse com as coisas. Não hesitei. Corri ao máximo que pude pra trazê-los pro meu humilde quarto.

E assim alguns minutos se passaram, e meu refúgio já não podia ser adentrado, não havia mais lugar para se pisar. Horas e Horas foram se esgotando, e minhas mãos ficavam cada vez mais pretas de tanto limpar cada livro de capa dura.

Para a minha INCRÍVEL surpresa, folheando os livros da coleção raríssima de 1956 de Monteiro Lobato, encontrei 2 notas de 2 cruzeiros novíssimas. Ao contar a minha mãe ela pergunta : ''Por que você não vende? Isso dá uma grana...''. Essa hipótese não foi ruim, mas por enquanto não.
Reorganizei novamente os livros, a decoração e me senti mais inspirada pra ler, apesar da minha Rinite.

Claro que depois dessa bagunça toda uma fome sempre bate. Comi muito biscoito com Pasta de Amendoin e bebi um copo de leite integral com... não me lembro.
Pois bem, tenho que ir, já são 10 e 40 da noite e ás 11 da noite o tio Bob Esponja me espera.Amanhã tenho Raio X pra fazer, e meu ânimo não é nada contagiante, principalmente quando o exame é às 18 e 15 da noite. Volto...amanhã!


Por Amanda Belém

Quero saber mais

1 comentários